Faculdade Soberana
Geral

Codevasf participa de debate no Congresso sobre crise hídrica na bacia do São Francisco

O presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Avelino Neiva, participou na tarde desta quarta-feira (6) da audiência pública da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas do Congresso Nacional. O objetivo foi discutir a crise hídrica na região do Vale do São Francisco e no reservatório da barragem de Sobradinho.

"Não se pode pensar em se resolver o problema hídrico do São Francisco se nós não tivermos uma opção dentro da própria bacia hidrográfica. A Codevasf possui um belíssimo estudo, feito há alguns anos, a respeito da construção de cinco grandes barragens que poderão suprir demandas hídricas do rio São Francisco", disse o presidente. 

Avelino Neiva destacou que a construção das cinco barragens é uma ação viável para a bacia, pois os investimentos seriam menores do que o de alternativas pensadas – como a transposição do rio Tocantins. "E o que é mais importante, todos os estudos de viabilidade econômica estão prontos, feitos pela Codevasf", acrescentou. 

O diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Companhia, Napoleão Casado, complementou a apresentação apontando algumas das ações emergenciais executadas pela empresa para diminuir os efeitos da seca e da estiagem prolongada na bacia do rio São Francisco. 

Segundo Napoleão Casado, desde 2015, entre as intervenções realizadas pela Codevasf estão as obras de desassoreamento em pontos críticos e a instalação de sistemas de bombeamento flutuante, que permitem a captação de água para os projetos públicos de irrigação, mesmo com a redução da vazão do rio São Francisco. Os investimentos nessas ações chegaram a R$ 47 milhões.

"Para garantir a segurança hídrica na bacia do São Francisco, principalmente  a segurança do abastecimento humano, a Codevasf tem realizado diagnósticos e mapeado a necessidade da execução de novas ações emergenciais", explicou o diretor de Irrigação. 

Das ações identificadas destacam-se a ampliação de redes de distribuição elétrica nos projetos públicos de irrigação e a perfuração e instalação de poços em municípios na área de atuação das oito Superintendências Regionais da Codevasf, além de obras de desassoreamento e instalação de flutuantes em outros trechos do rio São Francisco e projetos de irrigação.

A atuação da Companhia na bacia do São Francisco abrange mais de 600 mil quilômetros quadrados, onde vivem cerca de 18,2 milhões de pessoas.

Além de Antônio Avelino, participaram como expositores da audiência pública Fernando José Carvalho de França, representando o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS); Vicente Andreu Guillo, diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA); João Henrique de Araújo Frankilin Neto, diretor de Operações da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf); e Amauri José Bezerra da Silva, presidente do Conselho de Administração do Distrito de Irrigação Nilo Coelho (DINC). Eles também apresentaram as medidas para o gerenciamento da crise hídrica e as ações estruturantes em execução ou necessárias na bacia do rio São Francisco.

Acompanharam os debates no Congresso Nacional os diretores da Codevasf Inaldo Guerra (Revitalização) e Marco Aurélio Diniz (Desenvolvimento e Infraestrutura), além dos assessores da Presidência da Companhia Athadeu Ferreira, Márcio Adalberto Andrade e Guilherme Almeida, entre outros técnicos da empresa.

Assessoria de Comunicação da Codevasf

Editor: Nelson Fontes

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.