SHOE WAVE
Tecnologia

Nova carteira de motorista terá chip com dados do motorista

A carteira de motorista vai mudar, e muito. Vai servir até para pagar passagem de transporte coletivo
Quantos documentos você costuma levar na carteira?
“Todos. RG, CPF, título de eleitor, reservista, habilitação, tudo. Acho que é o costume do brasileiro, guardar na carteira tudo. Um dia vai precisar para alguma coisa”, diz o assistente de RH Marcos Saturnino.
E nas idas e vindas do seu Osvaldo do trabalho para casa, a carteira abarrotada de papéis não resiste.
“Eu principalmente que ando com moto, todos os documentos ficam amassados. Você vê a minha habilitação aqui e fala: 'nem acredito'”, conta o mecânico Osvaldo Machado Reis.

A carteira de motorista de papel está com os dias contados. Ela vai começar a ser substituída por um cartão de plástico, um cartão inteligente que vai vir com um chip armazenado. Além de dificultar as fraudes, o chip vai conter vários dados do motorista. Informações concentradas em um só lugar que prometem diminuir a burocracia e agilizar a vida
No novo modelo da carteira, as digitais vão ficar carregadas no chip e poderão, por exemplo, validar a identidade em bancos e serviços públicos automaticamente. O dispositivo também vai poder armazenar outros tipos de informações, por exemplo, dados para pagamento de transporte público, como ônibus e metrô, e também para pagar pedágio.
O processo de implantação da nova carteira vai demorar um ano, a partir de janeiro.
“A transição do novo modelo da carteira de habilitação deverá ser implementada junto aos órgãos estaduais até 1º de janeiro de 2019”, explica o ministro das Cidades, Alexandre Baldy.
Os motoristas que forem renovar a carteira já ganharão o modelo novo. Não vai ser necessário antecipar a ida aos Detrans. A antiga continua valendo até a data de vencimento.
“É uma proteção a mais e segurança para a pessoa que possui o documento. É uma coisa que vai facilitar o serviço de muitas pessoas, até evitar filas, no dia a dia”, diz o supervisor de expedição Evanildo Ferreira de Matos.

Editor: Nelson Fontes

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.