SHOE WAVE
Educação

Univasf mantém bom desempenho no Índice Geral de Cursos divulgado pelo Ministério da Educação

O Índice Geral de Cursos (IGC) é um indicador de qualidade que avalia as Instituições de Educação Superior brasileiras, divulgado anualmente pelo Ministério da Educação (MEC), através do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). No último resultado, referente ao ano de 2016 e publicado no Diário Oficial da União pela Portaria Nº 917 de 24 de novembro, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) obteve o conceito na faixa 4, em uma escala que vai de 1 (menor valor) a 5 (maior valor).
A Univasf vem mantendo este índice desde 2013, quando saiu da faixa 3 para a faixa 4. Para o procurador Educacional Institucional da Universidade, Rômulo Câmara, este número é um indicativo do bom trabalho da instituição em ofertar ensino de qualidade na graduação e na pós-graduação. “O IGC mostra que os nossos cursos estão acima da média. A média é 3 e nós estamos com uma boa colocação”, afirma Câmara.
O IGC é calculado a partir de uma média ponderada envolvendo as notas contínuas de Conceitos Preliminares de Curso (CPC) dos cursos de graduação e os Conceitos Capes dos cursos de programas de pós‐graduação Stricto Sensu das Instituições de Educação Superior (IES). A avaliação é feita a partir dos estudantes nos referidos níveis de ensino.
Um dos fatores que contribui para o CPC é a nota do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Em 2016, foram avaliados os cursos de Saúde e Ciências Agrárias da Univasf. O curso de Enfermagem obteve nota 5, enquanto Medicina, ofertado no Campus Sede, em Petrolina (PE), Engenharia Agronômica, Educação Física (Bacharelado), Farmácia, Medicina Veterinária e Zootecnia conseguiram notas 4. A escala também vai de 1 (menor nota) a 5 (maior nota).
Já os cursos de pós-graduação Stricto Sensu da Univasf também alcançaram bons resultados na Avaliação Quadrienal divulgada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em setembro deste ano. Quatro deles obtiveram, pela primeira vez, conceito 4, em uma escala que vai de 1 (menor nota) a 7 (maior nota): Ciências da Saúde e Biológicas (CPGCSB), Ciência dos Materiais (CPGCM), Ciências Veterinárias no Semiárido (CPGVS) e Ciência Animal (CPGCA). Os demais programas de Pós-Graduação da Univasf tiveram conceito 3.
Segundo Rômulo Câmara, os últimos resultados do Enade e da avaliação da Capes demonstram como a comunidade acadêmica tem se envolvido na busca pela melhoria nos índices da Universidade. “No Enade deste ano, por exemplo, tivemos reuniões com todos os alunos e eles entenderam a importância de fazer o exame”, explica o procurador.
Rômulo Câmara conta ainda que há o desejo de alcançar o IGC na faixa 5. A prioridade, porém, não é a procura imediata por um número específico, mas pela manutenção dos bons resultados, aliada ao aperfeiçoamento do ensino. Assim, ele acredita que o progresso nas avaliações do MEC virá através do trabalho contínuo. “A gente não pode baixar a qualidade. A estratégia realmente é ir junto com os gestores, com os alunos, para buscar crescer em tudo que a gente pode nesses índices. Estamos sempre tentando qualificar a instituição”, declara.

Editor: Nelson Fontes

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.