Reajuste do salário mínimo divide opiniões em Petrolina, no Sertão

O Salário mínimo passou de R$ 724 para R$ 788.
O aumento de 8,8% não agradou a todos os petrolinenses.

foto223

Entrou em vigor o novo valor do salário mínimo nacional, que passa de R$ 724 para R$ 788. Em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, alguns moradores ficaram otimistas com a possibilidade de ter dinheiro a mais no bolso. Mas, para outros, a mudança não agradou.

Para o estudante Ricardo Menezes, o acréscimo de cerca de 9% é uma oportunidade que o brasileiro tem para poder comprar um pouco mais. O porteiro Francinaldo Alencar gostou da iniciativa, mas revelou que esperava que o aumento fosse superior aos R$ 64.

A motorista Sara Braga disse não está satisfeita. “Foi muito pouco. Eu acho que nem deveria ter aumentado, porque quando eles resolvem aumentar esse pouquinho, as coias também começam a subir, como a gasolina e o gás”.

O vendedor Eraldo Bezerra classificou o reajuste como insignificativo. “É muito pouco porque a inflação subiu muito. Acho que o aumento foi insignificativo em relação ao aumento que tiveram as mercadorias. A gasolina é um exemplo”.

O reajuste para R$ 788 passou a valer oficialmente da quinta-feira (1º), quando o decreto presidencial foi publicado no Diário Oficial da União da última terça-feira (30). O decreto de nº 8.381 de 2014 informa que o valor diário do salário mínimo será equivalente a R$ 26,27 e o valor por hora será de R$3,58. O reajuste foi de 8,8%.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar