Chuva em Petrolina e Juazeiro está dentro do previsto, afirma meteorologista

A média esperada para o mês de fevereiro é de 80 milímetros.
Nesta terça-feira (24) a previsão é de chuva fina a moderada.

01

A chuva dos últimos dias em Petrolina tem deixado muitos moradores felizes, apesar de não ter sido em grandes proporções, pois amenizou as altas temperaturas que a região vinha enfrentando. De acordo com o Laboratório de Meteorologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), a precipitação está dentro do esperado para o mês de fevereiro.

Segundo o meteorologista, Mário de Miranda, a média esperada para o mês é de 80 milímetros. “Esta chuva já estava prevista. Pelo histórico que temos aqui da região, é esperada a precipitação de novembro a abril com média anual de 450 milímetros”, explicou. Segundo o especialista, a região estava enfrentando anos com ciclo de chuva abaixo da média, mas que também é considerado normal.

A previsão do Laboratório de Meteorologia da Univasf é de chuva fina a moderada até esta terça-feira (24). Ela deve suspender até o sábado (28) e a região poderá ter mais chuva a partir do domingo, 1º de março.

Ocorrências da chuva

De acordo com o coordenador da Defesa Civil em Petrolina, Jenivaldo dos Santos, as ocorrências aconteceram na segunda-feira (23) em que oito casas de taipa ficaram danificadas. “Nelas, o barro das paredes começou a cair”, afirmou o coordenador. As casas ficam em ocupações nos bairros Vila Dilma e no acampamento Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Jenivaldo dos Santos, nenhuma família precisou ser retirada do local.

Entre as outras ocorrências, Jenivado explicou que foram pontos de alagamento por causa da deficiência de drenagem que a cidade enfrenta, mas que a água baixou minutos depois que a chuva foi finalizada. Os bairros mais assistidos pela Defesa Civil são Cosme e Damião, Dom Avelar, São Joaquim, Parque Jatobá, Rio Claro, São Gonçalo, Vila Dilma e Assentamento Nossa Senhora de Fátima.

Segundo Jenivaldo dos Santos, os registros não são maiores, pois os moradores do bairro Cacheado, que sempre tinham problemas quando iniciavam a chuva, saíram das casas e estão, atualmente, em aluguel social.

Chuva em outros municípios do Sertão

De acordo com o boletim pluviométrico parcial da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) o maior índice de chuva na última segunda-feira até a madrugada desta terça-feira (24) foi na cidade de Belém do São Francisco com 47,5 mm na plataforma de coleta de dados. Em seguida teve o município de Cabrobó com 15,8 mm, Ouricuri com 7,4 mm, Parnamirim com 6,4 mm, Petrolina com 5,6 mm e Salgueiro que registrou 3 mm.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar