Compesa anuncia novo gerente e municipalização volta a ser discutida

COMPESA LOSSIO

Reunião aconteceu com imprensa e prefeito de Petrolina, Julio Lossio.
Prazo para a estação de tratamento também foram apresentados.

A municipalização da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) em Petrolina, no Sertão do estado, voltou a ser posta em discussão durante uma coletiva de apresentação do novo gerente do órgão na cidade, João Raphael Queiroz. A reunião, que aconteceu nesta terça-feira (3) na sede da prefeitura, foi conduzida pelo prefeito da cidade, Julio Lossio, e pelo presidente da Compesa, Roberto Tavares. Eles também foram provocados a falar sobre algumas reclamações da população em relação ao abastecimento de água e o sistema de esgotamento sanitário no município.

Segundo Julio Lossio, a decisão sobre a gestão do saneamento e captação de água será feita judicialmente. “Eu continuo defendendo a municipalização e acho que é melhor para o município. A Compesa acha que deve continuar com a gestão em todo o estado, mas esta decisão foi judicializada e não compete a nós. A administração da cidade não pode parar, porque temos investimentos feitos tanto pela Compesa enquanto pelo município”, afirmou Lossio.

O presidente Roberto Tavares, reforçou que a Compesa não é contrária à prefeitura assumir a captação de água, mas que a companhia deve ser indenizada. “Entendo o prefeito de pensar em municipalização. Em outros casos, houve o município voltar ao controle estadual. Eu, enquanto Compesa, não posso defender a municipalização. Todo o nosso sistema está montado em subsídio cruzado. Defendemos que a operação continue com a Compesa e que esta alie ao município para captar recursos. A gente continua discutindo no judiciário. A Compesa pode sair daqui desde que seja indenizada”, disse Tavares.

Novo gerente da Compesa, João Raphael Queiroz (Foto: Amanda Franco)

Além da municipalização, outros assuntos também foram contemplados como os prazos para a finalização de algumas obras em andamento e o despejo irregular de esgoto no Rio São Francisco. Segundo o presidente da Compesa, não é apenas de responsabilidade da companhia. “A poluição do Rio São Francisco não resolverá se todos os municípios não fizerem o que estamos fazendo (a construção das estações de tratamento). A poluição industrial também tem que ser combatida e não é de competência exclusiva da Compesa. Nós vamos fazer porque temos os recursos assegurados”, disse.

De acordo com Roberto Tavares, a estação de tratamento de esgoto já está funcionando. “Não fizemos a inauguração. A elevatória da Pedra do Bode já joga esgoto que está sendo tratado. Queremos que todas estações estejam funcionando para inaugurar. Falta ainda a fluvial”, enfatizou. O prazo é até que o mês de agosto a Estação de Tratamento de Água Vitória já esteja funcionando.

Em relação à Bacia do bairro Dom Avelar, a obra física já está sendo executada pela prefeitura e, após concluída, a operação será repassada para a Compesa. “Como temos um contrato vigente com a Compesa, temos por obrigação discutir sobre a operação”, destacou o prefeito de Petrolina. Segundo Lossio, a obra está em fase final de construção e uma comissão será criada para discutir a manitenção, operação e cobrança, mas não definiu prazos.

Nova gestão da Compesa em Petrolina

O novo gerente da Unidade de Negócios  em Petrolina é o engenheiro civil, João Raphael Queiroz. Ele substitui Igor Galindo que foi transferido para Garanhuns. Segundo o presidente da Compesa, estas mudanças ajudam para a própria formação profissional. “João Raphael vai trocar as experiências que estava desenvolvendo. A troca de gerentes é para capacitação deles”, afirmou o presidente.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar