PT articula ação conjunta na Câmara contra Moro e não descarta CPI

Lideranças de oposição se reunirão na tarde desta segunda-feira para definir estratégia contra o ministro e esperam apoio do Centrão

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), propôs a realização, por parte dos partidos de oposição, de ações conjuntas com objetivo de apurar a interferência do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, nas investigações da Lato Jato. Ele informou que entre essas ações está a possibilidade de criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a atuação de Moro e dos procuradores da força-tarefa de Curitiba, entre eles o procurador Deltan Dallagnol.

As matérias com diálogos por meio de mensagens entre Moro e Dallagnol foram publicadas pelo site The Intercept no domingo. De acordo com o líder, o que veio à tona até agora é somente 1% do material que o veículo dispõe sobre o caso. “O assunto está só começando”, disse.

“Tem pessoas defendendo uma CPI, uma CPMI, outros defendendo a convocação do ministro Sergio Moro. Existem outras medidas legislativas que o parlamento dispõe e elas serão objeto de uma análise que faremos nas próximas horas”, informou Pimenta.

Pimenta observou o caráter político das investigações. “Existiu um conluio na condição da investigação da Lava Jato e que ela tinha dois objetivos principais. O primeiro deles é impedir que Lula pudesse ser candidato. Não só do ponto de vista do conteúdo da investigação, como em relação aos prazos, a rapidez. Todo esse processo foi devidamente orientado pelo juiz Sergio Moro e pelo Dallagnol, sempre com o objetivo de evitar que o Lula pudesse ser candidato. Em um segundo momento, o foco do conluio criminoso passou a ser medidas que pudessem evitar que Fernando Haddad pudesse vencer a eleição”, detalhou.

A reunião entre os líderes da oposição está marcada para esta tarde, em Brasília. Alguns deputados estão antecipando suas passagens para chegar a tempo e definir uma articulação. Na tarde desta segunda-feira (10/06/2019), o líder do PT também pediu uma conversa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) para tratar de ações a serem realizadas na Câmara.

“Existe nos arquivos momentos em que o próprio parlamento foi ofendido”, disse Pimenta. O petista pretende sondar a disposição de Maia em decidir ou não pela criação de uma CPI, caso a oposição reúna as 171 assinaturas necessárias para a apresentação do requerimento.

Os líderes oposicionistas também pretendem se reunir na manhã de terça-feira (11/06/2019) com partidos do chamado Centrão, que já teriam emitidos sinais de disposição em apoiar medidas contra o ministro.

Via: Metropoles

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clique aqui e fale com Divulga Petrolina pelo WhatsApp
Fechar