Pelo Twitter, Bolsonaro enterra CPMF e nega alta da carga tributária

Presidente afirmou que não haverá novo imposto ou qualquer aumento de tributos na proposta do governo de mudança na arrecadação.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, na tarde desta quarta-feira (11/09/2019), poucas horas depois da demissão do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, que não haverá recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) ou novo imposto semelhante. Em post no Twitter, Bolsonaro também descartou que a proposta do governo de reforma tributária preverá aumento da carga de tributos paga hoje pelos brasileiros.

Mais cedo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, havia demitido o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra. Ele era o nome forte da reforma tributária elaborada pelo governo Bolsonaro. O auditor fiscal José de Assis Ferraz Neto assumiu o cargo interinamente.

Professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Cintra é defensor do imposto único e da criação de um Imposto sobre Transações Financeiras (ITF), aos moldes da antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Clique aqui e fale com Divulga Petrolina pelo WhatsApp
Fechar