O vereador Paulo Valgueiro critica a gestão do prefeito Miguel Coelho por não priorizar a Educação

Muito preocupado, a Educação sempre foi tema do vereador Paulo Valgueiro na Casa Plínio Amorim. Durante os três anos de sua vida pública como representante do Legislativo municipal, Valgueiro por diversas vezes pautou o assunto nas sessões ordinárias com vistas às melhorias da educação para crianças e jovens petrolinenses.

Atento as demandas dos estudantes e dos pais de crianças do ensino infantil, Valgueiro desde o primeiro dia de sua legislatura vem apresentado sugestões, requerimentos, indicações, debates e projetos para a área, um dos gargalos de Petrolina, que durante esse período já sofreu alguns golpes que desmoronaram a educação local, como fechamento de unidades do Programa Nova Semente, referência para todo o país, redução de vagas nas creches, suspensão de aulas, diminuição de profissionais, desvalorização salarial de educadores, falta de merenda escolar, de materiais didáticos e até fardamento. Situações registradas pelos pais e responsáveis dos alunos e muitas vezes denunciada na imprensa local.

Um dos compromissos do vereador é defender a educação pública de qualidade. Em 06 de fevereiro de 2017, início de sua vida pública como vereador de Petrolina, Paulo Valgueiro apresentou a solicitação ao Governo municipal para a contratação de empresa especializada em prestação de serviços de transporte escolar, destinado ao transporte de alunos do Ensino Fundamental da Rede Municipal e Rede Estadual conveniada com este município e dos técnicos de ensino que realizam visitações diárias aos estabelecimentos educacionais e atividades eventuais/extracurriculares, assim como convocou a Secretária de Educação do Município, a Senhora Maéve Melo dos Santos para comparecer à sessão ordinária desta Casa Legislativa, para explanar sobre a nova Política Educacional do município de Petrolina.

A atenção continuou durante todo o ano com outras solicitações. Em fevereiro de 2018, Valgueiro pediu cópia do convênio/contrato vigente entre o Município de Petrolina e a Fundesf-Fundação Juazeirense para Desenvolvimento Científico, Tecnológico, Econômico, Sócio-Cultural e Ambiental para a gestão do Programa; a descrição das unidades do Nova Semente existentes, com endereço, telefone, nome e contato das gestoras; a lista com todos os funcionários por unidade do programa Nova Semente, com discriminação dos respectivos cargos; a descrição detalhada dos serviços oferecidos no modelo atual;  o detalhamento do número de crianças atendidas, por idade, forma e horário de atendimento em cada uma das unidades e o  projeto pedagógico a ser utilizado no programa Nova Semente. “Nossa preocupação era também com a manutenção de um Programa tão importante para Petrolina e que tirou o município do caos, quando assegurou vagas para todas as crianças com uma atenção muito especial para meninos e meninas nos seus anos iniciais, com estrutura, profissionais e pedagogias adequadas para estas crianças, mas o prefeito não teve a sensibilidade de manter o que estava dando certo para mudar para um novo modelo que há três anos mostra a decadência, falta de vagas, crianças sem creche e pais desesperados”, argumenta Valgueiro.

Além de pedidos de reformas, reparos, reabertura de unidades educacionais, o vereador solicitou em 2019 mais informações sobre a Educação de Petrolina e propôs uma Audiência Pública para debater o assunto, afim de encontrar a solução para os problemas, mas até agora nenhuma, nem outra. “A falta de transparência perpetua no Governo Novo Tempo, já solicitamos diversas informações com o intuito de ajudar na busca de caminhos para solução de alguns problemas na administração pública, mas nos negam um direito que não é só dos vereadores, mas de toda a sociedade petrolinense que sofre as consequências da ingerência”, acrescenta o líder da Bancada de Oposição.

De acordo com Valgueiro, o atual cenário em Petrolina é bem diferente do que prometeu o prefeito durante a campanha eleitoral. “Petrolina tem hoje professores contratados dispensados irresponsavelmente, outros que aguardam a convocação, pais madrugando nas filas na tentativa de garantir uma vaga para seus filhos, incerteza do sistema educacional do município, redução de investimentos no setor e muita propaganda mentirosa, mas vamos continuar batalhando incansavelmente em 2020 por uma educação de qualidade na nossa Petrolina”, conclui Valgueiro.

Por: Mônia Ramos/ Jornalista 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar