Petrolina é considerada área hiperendêmica para hanseníase

Em 2013 foram diagnosticados 70 casos para cada 100 mil habitantes.
Para detectar a doença basta fazer um exame de sensibilidade da pele.

A cidade de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, enfrenta uma hiperendemia de hanseníase. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os números registrados na região estão acima da média e preocupam os órgãos competentes. Para reduzir as estatísticas, todas as Unidades de Saúde da cidade estão preparapadas para fazer o diagnóstico e oferecer o tratamento imediato.

O que chama a atenção em Petrolina, é o alto índice de ocorrência da doença. Em 2013, foram verificados 70 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. A média estipulada pelo Ministério da Saúde é de menos de 10 casos para cada 100 mil habitantes.

De acordo com o coordenador do programa de hanseníase Francisco Freitas, esses números vem se repetindo durante anos. “Tivemos altos íncides em 2013 e a gente imagina que em 2014 esses números aumentem. Estamos fazendo um trabalho junto à população, para descoberta de novos casos de hanseníase e dessa maneira iniciar imediatamente o tratamento e interferir na cadeia de transmissão da doença no nosso município”.

 (Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)
Teste de sensibilidade para hanseníase

Entre as áreas mais críticas, segundo mapeamento da SMS, estão os bairros Vila Eduardo e Dom Avelar, ambos na Zona Leste, João de deus, na Zona Norte, São Gonçalo, Zona Oeste e o Distrito de Izacolândia. Segundo Fracisco Freitas, toda a rede do município está estruturada e as Unidades de Saúde estão preparadas para fazer o diagnóstico e tratamento da doença.

Através de um cadastro realizado pela Secretaria de saúde, os pacientes recebem cartelas com antibiótico e antiinflamatório, de forma gratuita. O tempo do tratamento pode durar de seis meses, para os casos mais leves e 12 a 18 meses para casos mais intensos.

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa que apresenta sintomas como manchas, formigamento, dormencia e perca da sensibilidade. O exame para detectar a doença é simples e rápido. Basta apenas fazer uma triagem,  verificando a sensibilidade da pele através de testes de temperatura, toque e dor.

 

(Fonte): G1

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar