Fieis participam da despedida do Monsenhor Bernardino em Petrolina

Parte da população teve contato direto com o religioso.
Monsenhor será enterrado no túmulo da família pacífico da Luz.

Velório do Monsenhor Bernardino aocntece na Catedral de Petrolina (Foto: Amanda Franco/G1)

Logo nas primeiras horas da manhã deste sábado (17), a Igreja Catedral Sagrado Coração de Jesus em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, começou a receber os fieis católicos que foram se despedir do Monsenhor Bernardino Pacífico da Luz, que morreu às 18h desta sexta-feira (16). Com terços nas mãos, os católicos entravam na igreja emocionados e agradecendo por terem convivido de alguma forma com o padre.

Nelma Maria mora em Riacho do Salgado, na Zona Rural do município de Casa Nova-BA. Ela conta que nunca tinha visto o Monsenhor Bernardino pessoalmente. “Ele elevava a nossa fé em Jesus. Eu não conhecia frente a frente, só ouvia aquela voz. A palavra amiga dele é transmitida em todo o Vale do São Francisco e nos comove”, disse a mulher que veio à Petrolina para dar o último adeus ao Monsenhor Bernardino Padilha da Luz.

Idosa foi à Catedral de Petrolina dar último adeus ao Monsenhor Bernardino (Foto: Amanda Franco/G1)
Idosa foi à Catedral de Petrolina dar último adeus ao Monsenhor Bernardino (Foto: Amanda Franco)

Paulo Roberto de Araújo Barros levou a filha para o velório do religioso. Para ele, o padre era um exemplo a ser seguido por toda a vida. “Ele é um exemplo não apenas na parte educacional, mas um homem que viveu como evangelizador. Padre Bernardino é, para mim, um santo de Petrolina, um exemplo de vida como sacerdócio”, disse.

Aos 76 anos, Maria do Carmo de Souza superou uma doença e foi fazer sua oração próximo ao corpo. “Eu nem podia vir, pois estou operada, mas para mim ele foi um anjo. Conheci pessoalmente e pedi muito conselho e ele me dizia ‘tenha calma que você vencerá’ e

Desde os três anos de idade, Vital Pinto de Oliveira, hoje com 70 anos, disse ter acompanhado o Monsenhor Bernardino. “Ele esperava a gente na porta dando santinhos e medalhas. Eu tenho muitos em casa guardados”, contou o seguidor do padre. Segundo ele, em casa ainda estão guardados mais de 20 medalhas e um envelope com os santinhos, muitos deles já amarelados, por causa do tempo.

O velório do Monsenhor Bernardino Padilha da Luz, que acontece na Catedral, segue até às 16h quando será iniciada a missa de corpo de presente celebrada pelo bispo Dom Manoel dos Reis de Farias. Após as despedidas, o cortejo seguirá para o Cemitério Campo das Flores, no centro de Petrolina, onde o Monsenhor será sepultado no túmulo da família Pacífico da Luz. A Prefeitura de Petrolina decretou luto oficial de três dias a partir deste sábado.

O Monsenhor Bernardino Padilha da Luz morreu aos 90 anos. Ele estava com pneumonia e tinha Mal de Parkinson e Alzheimer. O religioso estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular da cidade vizinha, Juazeiro-BA.

Quem foi o Monsenhor Bernardino Padilha da Luz

O Monsenhor Bernardino Nasceu em 12 de setembro de 1924 em Petrolina. Segundo o historiador da Igreja Católica, padre Francisco José Pereira Cavalcanti, o Monsenhor Bernardino era reitor da Catedral desde o final da década de 1960. “Nos últimos 10 anos, o Monsenhor foi se afastando das atividades da Igreja católica, por causa da doença, mas sempre procurava celebrar a santa missa em sua casa”, disse o padre Francisco.

Monsenhor Bernardino Padilha da Luz, era filho de Pacífico da Luz e Maria das Dores Padilha. Em 1948, Bernardino foi, então, ordenado padre pelo Cardeal Brandão Vilela. Pouco tempo depois, o cardeal foi para a capital baiana, Salvador, onde padre Bernardino passou uma temporada e voltou à Petrolina para as celebrações na Catedral, afastando-se em seguida para fazer pregar as missas na Igreja Matriz, a pedido de Dom Paulo.

Após quarenta anos de sacerdócio, Padre Bernardino recebeu o título de Monsenhor conferido pela alta cúpula da Igreja Católica, em Roma.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar