Polícia afirma que não existe relação entre crimes de detentos em Petrolina

Aconteceram mais de três mortes envolvendo detentos e ex-presidiários.
Delegado esclarece que não há ligação entre os crimes.

Em Petrolina, no Sertão pernambucano, no mês de janeiro foram registrados mais de três homicídios que tiveram como vítimas presidiários e pessoas que já cumpriram alguma pena por cometer crimes na região. Uma hipótese de relação entre os assasinatos foi levantada pela população. Contudo, a Polícia Civil desconsiderou uma ligação entre os crimes na cidade.

O delegado responsável pela 26ª Delegacia de Polícia Civil, Magno Neves, esclarece que os  homicídios aconteceram em situações distintas. “Os eventos são pautados em vingança particular de cada um deles. Inclusive o ‘Modus Operandi’  das ações não tem similaridade um com os outros e as as armas utilizadas são totalmente diferentes. Esses crimes ocorreram com uma situação individual e estamos identificando alguns autores”, destaca.

O delegado comenta sobre as providências que estão sendo tomadas pela Polícia Civil. “Alguns desses crimes já têm suspeitos dos executores e logo serão identificados os causadores  desses transtornos aqui na nossa cidade.

Crimes

Um presidiário foi assassinado na noite de  quinta-feira (8) no distrito de Izacolândia, na Zona Rural de Petrolina. Ele estava em regime condicional no Presídio Dr. Edvaldo Gomes. Também na quinta (8), pela manhã, outro presidiário foi morto no bairro Atrás da Banca, na região central da cidade. Ele cumpria pena em regime semiaberto e chegava em um ônibus para fazer o serviço de capina da BR-407 como atividade de ressocialização carcerária.

Enquanto que quarta-feira (7) um ex-presidiário, de 22 anos, foi morto no bairro Parque São Paulo, também no município.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar