Em Petrolina, Hospital de Trauma continua sem leitos para receber pacientes

hospital

Jovem de 25 anos que sofreu acidente de moto, dormia no chão do hospital.
Pacientes esperam por atendimento em cadeiras no corredor.

Os pacientes que precisam de atendimento no Hospital Universitário (HU), de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, continuam com dificuldades para encontrar leitos disponíveis na unidade. Desde a última segunda-feira (09), um jovem de 25 anos que sofreu um acidente de moto em Ouricuri, também no Sertão pernambucano, esperou por atendimento até está quarta-feira (11). Segundo profissionais do Hospital Regional Fernando Bezerra, onde primeiramente foi atendido, o agricultor fraturou a clavícula e teve traumatismo craniano.

A agricultora Daniela Souza, esposa do jovem, denuncia que na unidade não há leito para o paciente e que em três dias foi avaliado por apenas um médico. “Quando chegamos aqui ele foi atendido por um médico que fez o encaminhamento para um neurologista, que disse que ele teve um leve traumatismo e que formou um coágulo. Falou que não era nada muito grave, mas como estava sangrando pelo ouvido, o médico deixou ele em observação. Mas até agora ninguém voltou para fazer uma avaliação”.

Por falta de leitos paciente ficou deitado em cadeiras (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)
Por falta de leito paciente ficou deitado em cadeiras (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

Por falta de leitos disponíveis, Daniela Souza disse que o esposo ficava sentado em cadeira durante o dia e a noite dormia no chão. “Até agora há pouco ele estava deitado em um banco do Hospital e não foi avaliado por nenhum médico. Queremos transferir ele para o Piauí, porque lá ele, pelo menos, vai deitar em uma cama e não dormir no chão duro. Acredito que o atendimento será melhor”.

Inconformada com a situação, a agricultora diz que o sentimento é de tristeza e de desgosto. “Os médicos disseram que não precisava transferir ele porque aqui é um hospital de referência. Mas não sei que referência é essa porque tem muitos pacientes aqui sem atendimento, tem um corredor cheio de macas, de pacientes esperando por atendimento”.

A família informou que no final da tarde desta quarta-feira (11), um médico avaliou o agricultor e por falta de sintomas aparentes o paciente recebeu alta.

O superintendente do Hospital Universitário, Ricardo Pernambuco, disse que o paciente passou por três especialistas desde que deu entrada na Unidade. “Hoje a tarde ele foi reavaliado pelo neurocirurgião que deu alta ao paciente. Vale salientar que esse paciente evadiu-se do hospital e infelizmente não teriamos nem como recebê-lo de volta porque isso é uma ação prevista em lei. Se o paciente evadiu do hospital, não temos mais responsabilidade sobre isso”, explicou.

A direção do HU reforçou que para retirar qualquer paciente sem alta médica, a família deve sim assinar um termo de responsabilidade.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar