Número de homicídios durante o carnaval em Pernambuco cresce 29,7%

alessandro
O secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho [D], apresentou balanço do carnaval (Foto: Katherine Coutinho)

Foram registrados 83 crimes do tipo em 2015 contra 64 no ano anterior.
Somente na capital, foram 18 assassinatos este ano contra 10 em 2014.

O número de homicídios durante o carnaval de Pernambuco cresceu 29,7% em 2015, saltando de 64 para 83 assassinatos. Os crimes foram registrados entre a meia-noite da última sexta (13) e o fim da Quarta de Cinzas (18). Somente na capital, foram 18 homicídios neste período, contra 10 no ano anterior. Os dados foram divulgados em coletiva na sede da Secretaria de Defesa Social (SDS), nesta quinta (19).

O crescimento no número de homicídios vem sendo uma constante desde novembro do ano passado, mas ajustes estão sendo feitos, segundo o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho. “Correções foram feitas, temos concurso em andamento, mudanças no regulamento das bonificações. É um processo de ajuste para que se volte a reduzir o crime. O que tivemos, quando tem um recorte dos homicídios, são brigas entre criminosos. Precisamos aperfeiçoar o conjunto como um todo, de prevenção, de ação policial e de julgamento dos processos”, apontou.

Apenas um homicídio aconteceu em um local considerado foco de carnaval pelo balanço. “Esse caso ocorreu na segunda-feira (16), no terminal de ônibus de Dois Unidos [no Recife]. Foi um acerto de uma rixa antiga, envolvendo o tráfico de drogas”, explicou Alessandro Carvalho. No interior, foram 44 homicídios neste ano, enquanto em 2014 foram 28.

Já em relação aos crimes violentos contra o patrimônio (CVP), que são essencialmente os roubos, houve uma redução de 1,2% em comparação com o ano anterior, indo de 1.054 para 883 ocorrências. No Recife, foram 321 ocorrências, contra 464 no ano anterior, uma redução de 30,8%.

A Polícia Militar registrou ainda um aumento na quantidade de drogas apreendidas, com 59 papelotes de cocaína retirados das ruas, 70 de maconha e 17 pedras de crack. Em 2014, foram recolhidos 29 de cocaína, 68 de maconha e 10 de crack. Houve uma redução no número de tubos de loló apreendidos, que caiu de 838 no ano passado para 427 em 2015.

Já a Polícia Civil registrou 206 crimes contra a pessoa, que são ameaças, agressões e lesões corporais nos focos de folia. Contra a administração pública, que inclui os crimes de desobediência e resistência, foram 138 registros, enquanto foram 42 detidos por porte ou uso de drogas e 10 por tráfico.

Preocupação com trotes
Um dos números preocupantes do balanço divulgado é o de trotes no período, passando tanto param 190 (Polícia Militar) quanto pelo 193 (Corpo de Bombeiros). A SDS computou 5.485 ocorrências do tipo, enquanto os atendimentos reais feitos através dos dois telefones foi de 4.926.

“É preocupante termos um número superior de trotes, é tempo que gastamos fazendo a triagem dessas ligações, recursos que enviamos sem necessidade”, afirmou Carvalho, destacando que os casos reincidentes devem ter inquéritos abertos para serem apurados.

O Juizado do Folião registrou 18 Termos Circunstanciados de Ocorrência, um a mais que no ano anterior. Dessas ocorrências, duas retornaram para a delegacia, oito tiveram multa de R$ 1.900 e seis foram encaminhados para prestar serviço comunitário.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar