Servidores do judiciário aderem a paralisação em Petrolina, PE

screenshot261

Apenas serviços emergenciais foram realizados no Fórum de Petrolina.
Em Salgueiro, servidores da cidade também suspenderam as atividades.

Assim como todo o Estado de Pernambuco, em Petrolina os servidores judiciários também paralisaram as atividades nesta quinta-feira (26). Usando roupas pretas e nariz de palhaço, cerca de 200 funcionários, entre oficiais de justiça, técnicos, analistas e auxiliares judiciários reivindicaram reforma na valorização de carreira com o tempo de serviço. Com a paralisação, apenas atendimentos de emergência foram realizados no Fórum de Petrolina.

De acordo com a categoria, há quase um ano o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) apresentou a progressão e Plano de Carreira, mas até o momento não foi enviado para aprovação na Assembleia Legislativa. Já o Tribunal relata que está discutir a proposta desde o mês de fevereiro de 2014, mas não houve avanços. O Sindicato da categoria alega que o Estado de Pernambuco é o que menos investe nos servidores judiciários.

A técnica judiciária Helania Vasconcelos explica que devido a desvalorização, existe uma evasão muito grande. “Os servidores entram principalmente pelo fato de trabalhar apenas seis horas, mas mesmo assim não vale a pena. Eles acabam fazendo concurso para irem para outros órgãos que estão pagando mais. Com isso o Tribunal de Justiça está tendo um prejuízo muito grande porque os servidores entram e daqui há pouco já saem. Quando começam a aprender o trabalho, quando começam a produzir realmente, eles saem”.

O chefe da 1ª Vara da Família, Kleber Lima afirma que a reivindicação traz benefícios para todos.“Nós esperamos que o Tribunal venha a implementar esse plano de cargos, trazendo valorização para o servidor, motivando a categoria e consequentemente trazendo benefícios para a população também.”

Em Petrolina, na Vara da Família só foram atendidas medidas relativas a pensão alimentícia.

Em salgueiro também houve paralisação. Os 24 servidores do Fórum da cidade suspenderam as atividades por 24 horas e apenas demandas emergenciais foram atendidas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar