Servidores do TJPE param atividades para cobrar novo plano de carreiras

SERVIDOR

Serviços oferecidos nos fóruns foram interrompidos parcialmente.
Em Joana Bezerra, apenas queixas emergenciais estão sendo recebidas.

Os servidores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) realizam uma paralisação nesta quarta-feira (11) para reivindicar melhorias no plano de cargos e carreiras da categoria e da progressão salarial. Por isso, a maior parte dos serviços oferecidos nos fóruns do estado foi interrompida. No Fórum Rodolfo Aureliano, localizado na Ilha de Joana Bezerra, na Zona Sul doRecife, por exemplo, os servidores só recebem queixas emergenciais. A previsão é de que os serviços sejam normalizados na quinta (12).

“A orientação é de que todos os sete mil servidores do estado parem. Aqui em Joana Bezerra, todos aderiram ao movimento. Mas, em respeito à população, estamos atendendo as questões urgentes, relacionadas a planos de saúde ou ao corte indevido de energia elétrica”, explicou Preciliano Neto, do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Pernambuco (Sindjud-PE). As audiências de alguns juizados também foram mantidas. “Mas porque são conduzidas por voluntários, não por servidores”, pontua Preciliano. Já a liberação de alvarás está paralisada.

No Fórum Rodolfo Aureliano, os servidores chegaram ao prédio às 7h e se dirigiram a suas salas, como de costume. No entanto, eles não estão recebendo a população. Segundo a auxiliar judiciária Cláudia Lima, muita gente buscou os serviços do fórum no início da manhã, mas não conseguiu entrar nos juizados e ficou esperando atendimento nos corredores do fórum. “Não estamos recebendo queixas, dando informações, ou atendendo o telefone”, conta. Segundo o TJPE, cerca de cinco mil pessoas passam diariamente pela instituição e, por conta da paralisação, devem ficar sem atendimento nesta quarta.

De acordo com o presidente do Sindjud-PE, Eliseu Magno, também aderiram ao movimento os servidores dos fóruns de Jaboatão dos Guararapes e de Olinda, além da Central dos Juizados Especiais do Recife, localizado no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul da capital. Assim como em Joana Bezerra, apenas os serviços emergenciais estão sendo realizados nesses locais, como os relativos a planos de saúde e habeas corpus. No interior, muitas comarcas também estão funcionando de forma parcial. Petrolina, Agrestina, Palmares, Gameleira, Ribeirão e Carpinasão algumas delas.

Por meio da assessoria de comunicação, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) confirmou que os servidores do Fórum Rodolfo Aureliano estão realizando apenas atendimentos emergenciais. O órgão, no entanto, ainda está apurando se os serviços dos outros fóruns do estado também estão paralisados. Por isso, pede que os cidadãos que precisam de algum serviço judicial liguem para as comarcas em que devem ser atendidos antes de sair de casa para confirmar se os atendimentos estão sendo realizados.

Reivindicações
A paralisação desta quarta foi acordada em assembleia realizada na capital pernambucana nesta terça (10) com servidores de todo o estado. A categoria reclama que o plano de cargos e carreiras oferece poucas oportunidades de crescimento e aumento salarial e quer providências do TJPE.

“O plano atual prevê um aumento do salário base, que já é baixo, de apenas 2,5% a cada dois anos, quando progredimos de cargo. Por isso, mesmo depois de completar os 32 anos previstos pela nossa carreira, não conseguimos dobrar nosso salário inicial. No Ministério Público, os servidores entram ganhando R$ 3 mil e se aposentam com R$ 10 mil. Aqui, você entra com R$ 3 mil, mas não chega a R$ 5 mil. Por isso, muita gente deixa de se aposentar porque não tem condições de se manter com esse dinheiro”, afirma Preciliano Neto, do Sindjud-PE.

A auxiliar Claudia Lima admite que não vê perspectivas de crescimento no TJPE e continua fazendo concursos públicos para tentar entrar em outra repartição. “O salário aumenta muito pouco. As pessoas entram achando que terão uma boa carreira como servidor público, mas acabam percebendo que não é vantajoso ficar aqui e saem para outros lugares melhores”, conta.

Segundo Preciliano Neto, o problema já foi apresentado à presidência do TJPE, que até apresentou propostas de melhoria do plano de cargos e carreiras no final do ano passado. O novo plano deveria ter entrado em vigor em janeiro, mas ainda não saiu do papel. “Demos um prazo para que ele nos desse uma resposta até 10 de fevereiro, mas não recebemos nenhuma explicação. Queremos que ele nos dê uma data para a implantação do novo plano”, diz Preciliano.

De acordo com o representante do Sindjud-PE, se isso não acontecer em breve, novas paralisações devem acontecer nos próximos dias 26 e 5. Novas assembleias também podem ser realizadas e alguns servidores, como Cláudia, não descartam a possibilidade de greve.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar