30 mil alevinos nativos do Rio São Francisco são soltos em Petrolina

editada_2

Ato foi realizado em homenagem ao Dia Mundial da Água.
34 estudantes da cidade participaram da ação.

Na manhã desta sexta-feira (20), 34 estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental participaram de um peixamento na Orla de Petrolina. As crianças depositaram no Rio São Francisco alevinos de três espécies nativas da região. O ato simbólico foi realizado em homenagem ao Dia Mundial da Água, que é comemorado no domingo (22).

Segundo o engenheiro de Pesca da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Rozzano Figueiredo, foram liberados cerca de 30 mil alevinos das espécies piau, curimatã e pacumã criados em cativeiro na instituição. “O critério de escolha das espécies é o fato de serem peixes nativos da bacia do São Francisco e também pela importância ambiental e econômica, pois vão gerar renda para os pescadores”, afirmou.

Cerca de 30 mil alevinos foram liberados no rio (Foto: Yuri Matos/G1)
Cerca de 30 mil alevinos foram liberados no rio (Foto: Yuri Matos)

O também engenheiro de Pesca da Codevasf, Francisco Reis, comentou a importância da atividade para a educação dos estudantes. “As crianças estão tendo a oportunidade de ter uma conscientização ambiental que as pessoas da minha geração, por exemplo, não tiveram. Além, disso elas incentivam os adultos a também preservar o Rio”, disse.

A estudante Ana Júlia Sousa, de 9 anos, que participou do peixamento, disse estar feliz por ajudar a natureza. “É muito legal poder soltar os peixes e cuidar do meio ambiente”, falou entusiasmada. Outro aluno da turma, Paulo Victor Santana, de 10 anos, também estava contente com a ação. “Dá uma sensação muito boa de ajudar a natureza. Com a poluição, muitos peixes estão morrendo e (liberar os alevinos) é uma atitude de solidariedade com o Rio”, comentou.

Os animais que foram depositados no Rio podem alcançar até 3kg, em condições normais, segundo Francisco Reis. “Essas espécies podem chegar a 2kg ou 3kg, até mais. Mas é importante destacar que isso só acontece se forem pescados na idade ideal, por isso a pesca tem de ser responsável, principalmente com o pacumã, que só existe no Rio São Francisco”, declarou o engenheiro. “Outros peixamentos vão acontecer durante o ano, a previsão é de soltarmos entre um milhão e dois milhões de alevinos”, completou.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar