Mulher no volante é perigo constante? "EPTTC" e o Dia Internacional da Mulher

dia
“Mulher no volante, perigo constante”? Não é bem assim. Durante muitos anos esse era um senso comum entre pessoas. Entretanto, dados da Seguradora Líder – DPVAT apontam que no último ano a maior incidência de indenizações pagas do Seguro DPVAT foi para vítimas do sexo masculino: 77%. E apenas 23% foram para mulheres.

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher que é domingo dia (8), no sábado (7), às 9hs, a Prefeitura de Petrolina, através da EPTTC-Empresa Petrolinense de Trânsito e Transporte Coletivo, vai realizar uma Campanha Educativa, na Avenida Souza Filho (Praça do Bambuzinho).

Na oportunidade as mulheres vão receber orientações sobre práticas de comportamento no trânsito seguro e ganhar rosas simbolizando a paz e o amor necessários nas ruas, avenidas e BRs. Agentes de Trânsito do sexo feminino prestarão as orientações.

Especialistas indicam que as mulheres são mais atentas ao volante, menos agressivas e se arriscam menos. Outro motivo é que muitas dirigem com crianças no automóvel, fator que aumenta a cautela feminina.

Os acidentes com veículos de duas rodas também têm alto risco para o sexo feminino: 66% das indenizações por invalidez permanente foram pagas em acidentes envolvendo motocicletas. Já nos casos de indenizações por morte, 57% foram pagas por ocorrências envolvendo automóveis.

A maior incidência de indenizações de morte de mulheres está presente na faixa etária de 45 a 65 anos. “Embora as mulheres representem um número menor de mortes comparado aos homens, o envolvimento em acidentes de trânsito também é preocupante”, explica o diretor-presidente da Seguradora Líder DPVAT, Ricardo Xavier.

Nos casos de invalidez permanente, a maior incidência ocorre na faixa etária dos 18 aos 34 anos, correspondendo a 47% das indenizações pagas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar