Para conter epidemia de dengue, estratégias são adotadas em Petrolina

mosquito-dengue-Super-650px

Bairros afetados foram São Gonçalo, Jardim Petrópolis e Vila Chocolate.
Além do controle químico é feita aplicação de avicida e palestras.

A cidade de Petrolina está em alerta contra a dengue. De janeiro ao mês de maio é um período crítico, de epidemia na região. Para minimizar o aparecimento de novos casos, a Secretaria de Saúde está colocando em prática algumas estratégias, que com ajuda da comunidade, pode agir para a diminuição de casos da doença.

No último resultado do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) , o município de Petrolina foi considerado pelo Ministério da Saúde como uma cidade com médio risco para epidemia de dengue.

Os bairros com maior foco do mosquito transmissor da dengue são o São Gonçalo, Jardim Petrópolis e Vila Chocolate. A coordenadora paroquial da Pastoral da Criança, Ivonete Almeida, procura sempre manter a residência livre do mosquito transmissor da dengue. “Não costumo guardar água e deixar água parada. Eu tenho muitas plantas e gosto muito de cultivar, mas tenho todo o cuidado, é tudo na terra e não deixo água parada, porque a gente sabe que atrai o mosquito, ele gosta de água limpa”.

Apesar dos cuidados, Ivonete teve dengue recentemente. “Procurei o médico e ele detectou que eu estava com dengue. Ele me passou medicação e eu fiquei tomando e já estou na reta final com 15 dias, ainda tô sentindo algumas dores nas articulações”, conta.

Ações preventivas contra a dengue em Petrolina, PE (Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)
Ações preventivas contra a dengue em Petrolina, PE (Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)

No levantamento feito pelos agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde, os bairros mais afetados foram o São Gonçalo, Jardim Petrópolis e Vila Chocolate. “Nesta rua teve bastante dengue, não só aqui mais em todas as ruas. Esse ano a dengue aumentou muito mais que o ano passado”, conta Denésia Albuquerque, moradora do São Gonçalo.

Para diminuir a proliferação do mosquito, a Prefeitura de Petrolina afirma que as ações de combate não param. “De janeiro a maio é um período crítico que nós podemos caracterizar como surto epidêmico e assim a gente está se preparando para que possa minimizar pelo menos o aparecimento dos casos. Além do controle químico, fazemos a aplicação de avicida, nós estamos fazendo a parte educativa em casa a casa para os moradores, uma atividade de palestra”, explica o gerente de endemias, Jailson Araújo.

Para evitar a dengue, não é recomendado deixar vasilhames descobertos com água parada em casa, colocar as garrafas com a boca para baixo e colocar terra nos vasos de planta. Quem quiser informar sobre focos do mosquito pode procurar procure a vigilância epidemiológica pelo telefone (87) 3866 8559.

 

(Fonte): G1

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar