Pais de Beatriz Mota se dizem chocados com suspeitas sobre funcionários do Colégio

mota

Os pais de Beatriz Angélica Mota, Lúcia Mota e Sandro Romilton Ferreira, pronunciaram-se nesta quinta-feira (31) sobre a divulgação do andamento das investigações do caso da filha, de 7 anos, morta durante uma festa de formatura, no dia 10 de dezembro do ano passado, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora em Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

“A princípio a gente achava que, como foi um crime de arma branca, a polícia solucionaria o caso em 24 horas. Mas, vimos que as coisas não eram tão simples assim, que foi uma coisa planejada. O que nos surpreende é que as pessoas que deveriam estar trabalhando na nossa segurança para dar proteção às pessoas do evento, foram elas que articularam e causaram esse crime. Essas pessoas facilitaram o trabalho de um executor, mas existe também, pessoas que pensaram e planejaram isso. A gente fica temeroso, no que pode acontecer”, argumenta o pai de Beatriz, Sandro Romilton.

Para Sandro, a revelação feita pelo delegado causou indignação. “Não só nós, mas toda a sociedade do Vale do São Francisco ficou chocada que um crime tão misterioso e que aconteceu de forma tão brutal tem envolvimento de personagens contratados. Mas, saber que pessoas estão mentindo e estão obstruindo as investigações nos deixa muito chocados. A gente repudia veementemente esse tipo de situação”, argumenta.

Apelo
Os pais de Beatriz declararam ainda nesta quinta-feira (31) que o sentimento é de extrema ansiedade para a resolução do caso. “Não temos dormido direito nesses últimos dias, porque a ânsia aumenta, a angústia aumenta e o desespero das pessoas também. Muitos têm contribuído com o caso. A gente precisa de uma resposta, seja o que for, doa a quem doer. Queremos a verdade para o bem da nossa saúde mental e para a tranquilidade e segurança da nossa família. Na escola, nós temos crianças, adolescentes, outros funcionários, pais de alunos e professores que precisam saber a verdade”, destaca Sandro.

Apesar dos dois sentirem que as investigações caminham rumo a uma solução, os pais fazem um apelo à sociedade. “Pedimos que as pessoas que estavam durante o evento que continuem enviando fotos e vídeos, porque estão contribuindo e as identidades delas serão preservadas. Os dados são coletados de uma maneira criteriosa e ninguém vai ser exposto. Existe o Disque-denúncia, tem a página do #SomosTodosBeatriz na internet, só faltam as provas circunstanciais e temos certeza que existem mais testemunhas que podem ajudar ainda no caso. Não tenham medo, nos ajude”, pede Sandro Ferreira.

(Via):G1-Petrolina
[ad name=”350×250″]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios