Zona Franca do Semiárido – O embaixador e empreendedor social Antonio Souza explica as vantagens

O início da nova Legislatura no Congresso Nacional é, também, um momento mais do que oportuno para reacendemos o debate sobre a instalação da Zona Franca do Semiárido, a Proposta de Emenda à Constituição 19/2011, de autoria do deputado paraibano Wilson Filho e relatoria do pernambucano Gonzaga Patriota. A zona de livre comércio, nos moldes da de Manaus, será a redenção do povo nordestino. Vai melhorar a qualidade de vida do sertanejo, ainda hoje muito prejudicado pela falta de apoio do Poder Público e pelas altas taxas tributárias, além da dificuldade de acesso ao crédito.

Embaixador da Zona Franca do Semiárido, o empreendedor social Antonio Souza explica as vantagens. “Essa intervenção se converte em uma saída para o trabalhador da zona rural. Entre os seus principais benefícios estão as oportunidades de emprego a serem geradas. O projeto já passou por várias etapas, e, agora, está esperando a pauta para votação na Câmara. Ao todo, mais de 90 municípios devem ser beneficiados com a criação da Zona Franca do Semiárido, que contará com 31.416 quilômetros quadrados, área 737 vezes maior que a de Manaus”, argumentou.

Antonio Souza também atentou para o incremento na geração de empregos e incentivos fiscais para as empresas da região, o que estimulará as práticas comerciais nacionais e internacionais sem a existência de tarifas alfandegárias. “A estruturação se dá com a implantação de empresas, mas, primeiro, com o incentivo e apoio às organizações já existentes; não somente às empresas, bem como aos serviços das indústrias, comércio e agricultura”, destacou.

O empreendedor social detalhou ainda outras vantagens da PEC, a exemplo da questão tributária com investimentos em infraestrutura e apoio logístico para melhorar a malha viária e as ferrovias. “Nossos aeroportos regionais vão funcionar para facilitar o escoamento da produção. Vamos trazer desenvolvimento para o nosso Sertão e para Pernambuco como um todo. É imprescindível a chegada de políticas de desenvolvimento econômico e social que transformem a vida do sertanejo para melhor, garantindo milhões de novos empregos e desenvolvimento regional. Esse é um sonho que se tornará realidade quando essa iniciativa sair do papel”, concluiu Antonio Souza.

Texto: Arthur Cunha 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Clique aqui e fale com Divulga Petrolina pelo WhatsApp
Fechar