Joel da Harpa defende implantação das escolas cívico – militares

O deputado Joel da Harpa foi à tribuna da Assembléia Legislativa na tarde de hoje para defender a ampliação do número de escolas que receberão apoio federal para migrarem ao modelo militar. Até 2023, a previsão é que 216 escolas façam parte do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares.

“Finalmente, a ordem em meio ao caos! Afinal, drogas, armas brancas, passinhos, excesso de erotização e baixa aprendizagem são o prato do dia a dia das escolas de regiões vulneráveis no Brasil”, ressalta o parlamentar.

Para Joel, com uma instrução educacional melhor fornecida pelas escolas cívico-militares, os alunos poderão vislumbrar melhores perspectivas de emprego e renda, a fim de não ficarem dependentes de programas do governo.

Existe uma preocupação com o resgate da moral e dos bons costumes com regras a serem seguidas pelos alunos. A educação preza pelo respeito às pessoas. No geral, nas escolas militares, o uniforme é uma espécie de farda. São proibidos tatuagens e piercings. As garotas têm de usar cabelo preso ou trança; para os meninos, vale cabelos curtos, estilo militar. Também não é permitido namoro dentro da escola. Fora, de uniforme, também não. Nem andar de mãos dadas. Duas retenções na mesma série provocam expulsão.

O deputado parabenizou o presidente Jair Messias Bolsonaro.pela iniciativa e fez um apelo para que o Governo do Estado de Pernamnuco busque a adesão.ao programa de maneira a proporcionar às famílias pernambucanas a oportunidade de ofertar aos filhos uma educação de qualidade.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Clique aqui e fale com Divulga Petrolina pelo WhatsApp
Fechar