Prefeitura orienta sobre medidas a serem tomadas em acidentes com escorpiões em Petrolina

Com a chegada do verão e do período chuvoso, principal época de reprodução dos escorpiões, a Prefeitura de Petrolina orienta a população sobre as medidas para prevenir o aparecimento desses animais nas residências. Os escorpiões têm hábitos noturnos e se alimentam, principalmente, de insetos e aranhas.

A gestão municipal empenha-se no combate desse animal, através da captura das espécies e das orientações repassadas à população pelos agentes de saúde e de endemias. Mas, vale frisar que esse é um trabalho preventivo, pois as ações por parte dos moradores são de suma importância, como a limpeza de terrenos e quintais, por exemplo. “A gente salienta a importância de cada morador avaliar seu imóvel e eliminar possíveis situações que tornem a residência atraente para o surgimento de insetos, principalmente baratas, pois irá promover a proliferação de escorpiões. O lixo doméstico deve ser colocado em sacos plásticos ou cestos de lixo, devidamente fechados, para posterior coleta. É importante também evitar nas residências acúmulo de entulhos, telhas, blocos e madeiras“, frisa a secretária executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro.

Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), em 2018 foram registrados 277 acidentes com escorpião em Petrolina, enquanto no ano passado foram 330 casos.

Em caso de acidente com escorpião no município, a orientação é que a pessoa lave o local da picada com água e sabão e procure o Hospital Universitário (se for adulto) e o Hospital Dom Malan (se for criança) para que a equipe de saúde avalie a necessidade de aplicação do soro antiescorpiônico. Se possível capture o escorpião para levá-lo para a identificação da espécie.  “Todas as espécies de escorpião podem inocular veneno pelo ferrão e a gravidade do envenenamento varia conforme o local da picada e a sensibilidade do acidentado. Este ano, foram registrados 11 acidentes com escorpião em todo município”, finalizou Marlene Leandro.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar