Em Petrolina, permissionários do Ceape têm destino indefinido

Prefeitura pretende recolocar alguns comerciantes na feira do Ouro Preto.
Para os que se recusarem, serão apresentadas outras alternativas.

O Ceape funciona há 30 anos em frente à Avenida Sete de Setembro. (Foto: Amanda Franco/ G1)
O Ceape funciona há 30 anos em frente à Avenida Sete de Setembro.

Continua indefinido o destino dos permissionários do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape), no Sertão pernambucano.  A prefeitura municipal afirma que eles terão que deixar o local. Entretanto,  foi apresentada uma alternativa para resolver o problema que é relocar os comerciantes em um espaço na feira do bairro Ouro Preto, mas a ideia não agradou os comerciantes.

Na feira do bairro Ouro Preto existem quatro boxes onde funcionam dois açougues, um hortifruti e um restaurante. De acordo com os comerciantes que trabalham no local, no mês passado, eles foram informados pela prefeitura que deveriam deixar o lugar, pois no espaço será construída uma praça de alimentação onde serão instalados alguns comerciantes do Ceape.

O comerciante, Cícero Robson da Silva, ressalta que deveriam ter prioridade de ficar no local. “Tendo em vista que nós estamos aqui há mais de 15 anos. Eu acho que nós deveriamos ter mais uma prioridade por estar nesse espaço. Nós vemos que esses boxes estão padronizados de acordo com  a Vigilância Sanitária, estão no alinhamento da rua. Então não tem porque dessa saída”.

Segundo os comerciantes do Ouro Preto, a prefeitura ofereceu outro espaço na própria feira para eles construírem novos boxes. Mas comerciantes como Paulo Feitosa dizem que não têm dinheiro para realizar a obra. “Recentemente nós fizemos uma reforma exigida pela prefeitura. Então ainda hoje a gente deve dessa reforma e ainda não terminamos de pagar, tanto eu como meu vizinho. Então fica muito dificil construir com os próprios recursos”.

Já no Ceape, os permissionários dizem que nenhum representante da prefeitura informou sobre a mudança e eles continuam aguardando um posicionamento sobre a atual situação.  “A gente chega ai e se questiona porque a população fica perguntando a gente e vocês vão para onde e a gente não sabe responder ainda porque um dia toma um rumo da conversa e outro dia a conversa toma outro rumo”, destaca.

O secretário executivo do Ceape, Marcone Prazeres, explicou que o projeto de lei para a construção de novos boxes na feira do Ouro Preto já foi enviado para a Câmara de Vereadores e deve ser votado em breve. Contudo, ele esclarece que esta é uma alternativa que vai ser proposta aos comerciantes. “Os permissionários que negociarem, vão ser doadas áreas e terrenos , onde os mesmos poderão construir para começar a funcionar no novo local. Aqueles que não quiseram negociar, nós estamos estudando outras possibilidades de judicializar a desocupação do espaço”, destaca.

Marcone enfatiza ainda que, obrigatoriamente, os permissionários terão que sair. “Todos os contratos já foram revogados e o município revogou todos eles. O espaço tem que ser desocupado o mais rápido possível”.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar