SINPOL-PE repudia a sentença da Corregedoria Geral da SDS em propor aplicação da pena de demissão dos diretores do Sindicato

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) repudia a decisão da Corregedoria Geral da SDS em sugerir a aplicação da pena de DEMISSÃO dos Diretores do SINPOL: Rafael Cavalcanti (presidente licenciado), Áureo Cisneiros (ex-presidente do Sindicato e já demitido em outro PAD), Tiago Batista (Diretor Financeiro) e Douglas Lemos (ex-Secretário Geral). A 5ª Comissão Permanente de Disciplina decidiu que estes servidores, mesmo devidamente licenciados para o desempenho de mandato classista, devem ser demitidos. Tal Processo Administrativo investigava a participação dos citados numa paralisação no IML/Recife, ocorrida em 2015.

A 5ª Comissão Permanente de Disciplina é composta pelos seguintes Policiais: 01(uma) Delegada, 02 (dois) Comissários de Polícia e 01(uma) Escrivã de Polícia. Por decisão unânime, todos os policiais concordaram em aplicar a pena de demissão dos Diretores do SINPOL.

De forma integral, esses corregedores se “convencerem” em indiciar os dirigentes sindicais em 03 (três) incisos demissionários, sugerindo a aplicação do artigo 49, inciso XII, da lei estadual 6.425/1972. Ou seja, para a Corregedoria, Rafael Cavalcanti, Áureo Cisneiros, Tiago Batista e Douglas Lemos devem ser excluídos do quadro da Polícia Civil de Pernambuco.

Para a diretoria do SINPOL, é muito triste ver as pessoas serem atacadas por defender os seus direitos. “É lamentável o que o Governo do Estado tenta impor ao Sindicato mais atuante de Pernambuco. Ao invés de resolver os problemas estruturais da segurança pública, prefere calar à força os sindicalistas. É muito triste ver que pessoas exercendo uma função estritamente sindical, sejam atacadas de forma tão dura, apenas por estarem lutando pelo direito do Policial Civil a ter a sua dignidade e o seu trabalho reconhecido por esse mesmo governo que aí está”, indica o presidente em exercício do

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar