Grávidas com mais de nove meses esperam atendimento em Petrolina

Gestantes com mais de 40 semanas estão sem previsão de atendimento.
Problema do HDM se agravou com a demissão de 12 médicos.

Hospital Dom Malan IMIP Petrolina (Foto: Amanda Franco/ G1)

A demora no atendimento no Hospital Dom Malan (HDM) deixou pacientes e familiares revoltados nesta quarta-feira (21) em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Gestantes com mais de 40 semanas aguardavam por atendimento e chegaram até a serem encaminhadas para a maternidade de Juazeiro, na Bahia, mas tiveram que voltar ao HDM.

A vendedora Gabriela Brito da Costa está acompanhando a irmã, grávida de 42 semanas e relatou que a gestante recebeu encaminhamento do Posto de Saúde, procurou o hospital, mas até agora não foi atendida. “Ela já foi encaminhada até para Juazeiro, mas o médico mandou retornar. O bebê já passou da hora de nascer. Ela está desde ontem sem comer, sem beber água, não está no soro. Está sentada em uma cadeira, esperando uma vaga”.

A dona de casa Helena Gomes da Silva levou a irmã ao hospital desde terça-feira (20) e ainda aguardava por uma definição às 15h desta quarta-feira (21).”Minha irmã está com 41 semanas, também foi levada para Juazeiro e voltou. Ela chegou a passar mal, recebeu uma injeção e pronto, não foi feito mais nada. Ficou sentada em uma cadeira esperando”.

A dona de casa Alaíde Araújo que acompanha a sobrinha em trabalho de parto, denunciou as condições das salas da unidade. “Tem muitas mulheres no corredor esperando para ter os filhos, elas estão se queixando, muitas já passaram da hora de ter e ninguém toma providência. As mulheres estão tendo bebê junto a uma sala que está em reforma, onde tem muitos homens trabalhando”.

Em nota, a direção do Hospital Dom Malan/IMIP informou que devido a demissão de 12 médicos, a Emergência Obstétrica da unidade está funcionando com plantão médico reduzido. Foi enfatizado que no HDM estão sendo atendidos apenas pacientes classificados como grave e que os demais casos estão sendo encaminhados para as maternidades de outros municípios.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar