Profissionais de saúde alertam para riscos de doenças durante o carnaval

Em Juazeiro, na Bahia, a festa de Momo começa hoje (7).

Se aproxima uma das festas mais esperadas do ano. O carnaval da alegria também serve de alerta para profissionais de saúde. É que a aglomeração e maior contato entre pessoas vêm preocupando a população e autoridades com relação à transmissão de doenças que costumam a aumentar nesse período e também o coronavírus, que surgiu na China e está alcançando outros países.

Até agora, o novo coronavírus causou 564 mortes na China e 1 morte nas Filipinas.

O Brasil tem 9 casos suspeitos de coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. O levantamento anterior trazia 11 casos suspeitos, mas três foram descartados e outro foi acrescentado à lista.

Os casos que ainda estão sob investigação são dos estados do Rio Grande do Sul (3), São Paulo (3), Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1) e Santa Catarina (1). Ao todo, 24 suspeitas foram descartadas no país até agora.

É considerado caso suspeito a presença de febre e ao menos um sintoma respiratório (como tosse, dificuldade para respirar, entre outros) e também se o paciente esteve na China nos últimos 14 dias ou se teve contato próximo com alguém que esteja sob suspeita ou é um caso confirmado de coronavírus.
Apesar do alerta e da apreensão com a chegada do carnaval, o médico da família e preceptor do curso de Medicina da Estácio, Salvador Carvalho, não acredita que o vírus esteja circulando nesta região. “É um risco muito pequeno ou quase nenhum. Primeiro nós não temos caso nenhum na Bahia nem no Brasil, então seria quase impossível que nós tivéssemos circulação de algum vírus nessa região”, esclarece.

Apesar disso, o médico não descarta os cuidados para outros problemas de saúde, bastante comuns nesta época. “As (doenças) mais comuns durante o carnaval são as gastroenterites ou a síndrome diarreica aguda, que é aquela diarreia que acomete quem comeu demais, ou alimentos mal preparados ou ainda quem bebeu demais durante o percurso e passou mal no dia seguinte. Quando aparece diarreia, vômito, dor de barriga. São os casos mais comuns. Uma forma de prevenir é uma alta ingestão de água, se alimentar em lugar que você conheça a procedência e o preparo dos alimentos e não ingerir tanta bebida alcoólica.”

Outras doenças por conta da aglomeração são os resfriados e gripes comuns. Um simples espirro espalha os vírus que podem contaminar um número considerável de pessoas e costumam dar sinais alguns dias depois do carnaval. “A orientação é que as pessoas ingiram bastante água, pelo menos 3 litros por dia e se alimentem bem, com alimentos que tenham uma origem adequada”, reforçou o profissional de saúde.

Texto: Isabella Ornellas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios